Instituto Faz Bem - (31) 3275-2475 | IME - (31) 3262-3555

Náuseas e vômitos
São situações muito comuns no primeiro trimestre da gestação. Geralmente aparecem em torno da 6ª semana e se estendem até a 20ª semana. É importante que a gestante saiba que isso é fisiológico e não irá influenciar na nutrição do bebê. Alguns cuidados simples podem ajudar bastante:
· Alimentação fracionada; seis a oito refeições/dia com intervalos máximos de 3h;
· Evitar frituras, gorduras e alimentos com cheiros fortes ou desagradáveis;
· Evitar líquidos durante as refeições, dando preferência à ingestão nos intervalos;
· Ingerir alimentos sólidos antes de levantar-se pela manhã – bolacha água e sal e uvas são boas opções.
· Ingerir suco de limão ou suco de uva integral pode ajudar a controlar a náusea;
· Utilizar líquidos ou alimentos gelados para evitar o vômito;

Azia
Ocorre mais comumente após as refeições, devido ao refluxo do conteúdo gástrico provocado pela pressão do útero sobre o estômago e relaxamento de esfíncter inferior do esôfago. Para diminuir os desconfortos, além de fracionar as refeições e mastigar bem os alimentos, é bom evitar frituras, café, chá-preto, mate, doces, alimentos gordurosos, picantes e irritantes da mucosa gástrica, álcool e fumo. Mamão e abacaxi são boas opções de sobremesa porque melhoraram a digestão. Evite deitar-se logo após as refeições. Evite ao máximo o uso de antiácidos porque além de você correr o risco de ter um efeito rebote, eles podem prejudicar a absorção dos minerais e vitaminas.
Excesso de gases intestinais
Eles podem ser formados de duas maneiras: pela ingestão de ar no ato da alimentação, da fala e na ingestão de líquidos ou pela ação de bactérias durante o processo digestivo – a fermentação.

Excesso de gases intestinais
Eles podem ser formados de duas maneiras: pela ingestão de ar no ato da alimentação, da fala e na ingestão de líquidos ou pela ação de bactérias durante o processo digestivo – a fermentação.
· Evite alimentos como alho, batata-doce, brócolis, cebola crua, couve, couve-flor, rabanete e repolho, além de refrigerantes e bebidas gaseificadas. Cada pessoa reage de forma diferente à estes alimentos, então preste atenção àqueles que parecem causar mais problema para você e tente comer menos deles.
· O leite pode provocar a flatulência, mas a substituição por iogurte ou leite fermentado pode aliviar os sintomas.
· Para reduzir a produção de gases causada pelo feijão, lentilha ou grão de bico, deixe-os de molho por 12 horas, trocando a água pelo menos três vezes durante esse período.
· O consumo frequente de chá de erva-doce também pode auxiliar a prevenir e a aliviar a flatulência.
· A prática de atividade física estimula o funcionamento do intestino e ajuda a expulsar os gases.

Constipação intestinal
Ela pode acontecer por questões emocionais, baixo consumo de fibras, pouca ingestão de líquidos e na gestação ainda tem um agravante: a questão hormonal. O aumento da progesterona durante a gestação diminui não só a contração uterina, mas também a contração de todos os outros músculos do corpo. Com o intestino não é diferente. Boas formas de melhorar o funcionamento intestinal são:
· Consumir 2 litros de água diariamente.
· Comer salada 2 vezes por dia (almoço e jantar) e comer 3 frutas por dia (sendo pelo menos uma com casca)
· Consumir farelo de aveia, linhaça, chia, farelo de trigo ou alimentos integrais pelo menos uma vez ao dia.
· Fazer uso de um simbiótico pode ser muito interessante.
· Praticar atividade física regularmente com orientação de um profissional.
· Uma boa opção de coquetel laxativo é bater um copo de suco de laranja com ¼ de mamão, 2 ameixas e 1 colher de farelo de aveia ou linhaça.
· O uso de laxantes deve ser evitado sempre que possível. O uso excessivo de laxantes deixa o intestino preguiçoso e mal acostumado, e a constipação intestinal que era para melhorar depois do nascimento do bebê, pode se tornar um problema contínuo.