Instituto Faz Bem - (31) 3275-2475 | IME - (31) 3262-3555

A introdução alimentar é uma fase para conhecimento e exploração dos alimentos, sempre da forma mais natural possível.

Nessa fase, as crianças conhecem os diferentes sabores de cada coisinha que colocam na boca.

O sal máscara o sabor real do alimento e vicia o paladar, além disso, ele altera os parâmetros alimentares do bebê que ainda tem poucas referências.

A maior parte do sódio que utilizamos no nosso corpo é para realizarmos as contrações musculares e os bebês, por não andarem, se movimentam pouco. Isso significa que ele não tem muito o que fazer com o sódio e o excesso depende dos rins para ser eliminado. Só que os rins do bebê ainda são imaturos para trabalhar sobrecarregados.

Mas o sódio não é indispensável no organismo?
Apesar de não darmos sal para o bebê, ele recebe o sódio intrínseco dos alimentos que é suficiente para as funções que ele precisa realizar.

Mas a comida não fica sem sabor?
Exatamente por não estar acostumado com o sódio, o bebê não sente falta dele. E não usar sal não é sinônimo de não temperar. Ervas e condimenetos estão liberados e devem ser usados!!!

Quando um bebê come uma batata com orégano e depois come uma batata com manjericão ele nem faz ideia que as duas opções são batatas. Se o sabor é novo, então é outra coisa pra eles.

Nessa fase, quanto mais sabores a criança consome, melhor é. Isso ajuda a prevenir a seletividade no futuro. Porque, ainda que nem todo alimento seja um hábito, quando ele provar lá no futuro, terá uma lembrança para puxar no cérebro e as chances de aceitação são bem maiores.